24 de jan de 2017

141 - VÉU NEGRO





Num intante se espalha uma bruma, um véu
feito de  preconceito e  coisas já esperadas,
insidioso e que não nos vê apenas como réu
mas como culpado em causas já julgadas...

Presume motivações, interesses específicos,
condena e pune com cruéis vergastadas,
pessoas, ideias, coisas apenas afloradas,
amores simples, amanheceres magníficos...

E divide o mundo em dois, racha-o ao meio.
De um lado as coisas más, do outro as boas.
Ignora as paixões, exclui a alma das pessoas,
E esquece todo o resto que fica de permeio.

Logo surgem aqueles que pretendem dominar,
e aparecem os que só querem ser dominados,
e é com essas tenazes que se vêem agarrados
os de passos singelos, que tentavam caminhar...

Parece que o mundo não é tão simples, mas é.
Morrem aqueles que alguém despreza e mata.
Não se pode negar um nó que ninguém desata:
-não há guerra que seja santa, ou feita pela fé.

Que fé é essa ? Em que deus desamado ?

Que fé ?


copyrightHenriqueMendes ( texto )
foto colhida na net

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é precioso para mim!
Comente, por favor :