29 de jul de 2015

110 - TARDE QUENTE




Pisei naquela linha distante...
Naquele limite onde o tempo se rasga
e a vida fica algo estranha,
e todos os valores cedem um pouco,
se acomodam e ajustam
com aquele som de pano puído
que finalmente se esgaça,
abdica da complexidade objetiva da trama
e se reduz a fios soltos.

Isolados, são fios também,
mas não são mais aquela rede colorida
onde sonhei adolescências
em tantas tardes de calor inquieto.

Isolados, não me darão nunca mais
aquele balanço ocasional,
sem ritmo nem persistência,
que um calcanhar esquecido no chão
imprimia ocasionalmente.

Isolados, são apenas fios
retomando a sua identidade própria,
mas meros detalhes, apenas, duma história
que só juntos poderiam contar:
a minha história, de mim.

Isolados, são como palavras desconexas,
que não formam frases.
Que, no máximo, soam à saudade
duma rede balançando em
tarde quente...

(2009 revisado )




12 de jul de 2015

109 - TANTOS EM MIM ( cumpleaños - aniversário )






Hay días en que las palabras, por limitaciones características de su forma en cuanto comunicación, no  alcanzaron a decir todo lo que pretendemos.

Y no hay como ir más allá de ese punto donde, emocionados y frágiles ante nuestras emociones, nos quedamos aún  con el sentimiento de que es necesario decir o hacer algo más. Es eso lo que intento hacer (abajo) enseguida, con un poemita:
- Agradecer  a mi familia.  Y también a toda esa otra  tan especial, esparcida por ese mundo de Dios y hecha de amigos y amigas que me adoptaron y consienten, y que han descubierto formas de hacerme llegar sus abrazos y besos, vía Facebook  y otras vías, iluminando a mi alma y llenando de satisfacción la fecha de mi cumpleaños. ¡Gracias mil a todos!

En español:

A cada momento, un año que me tome,
levanto mis ojos,  mirando
los horizontes de las sorpresas
y no veo más que a otro más,
de esos tantos que no olvido nunca
pero que no esperaba ver así.

Son rostros de historias e instantes,
y sentimientos hincados en el tiempo,
que no se aplastaron entre sí
pero me hicieron lo que soy:
marinero  un poco rudo,
endurecido navegante de memorias,
que extraña las olas
cuando camina en la tierra firme, allá
donde los otros  sonríen.

Y Señor, como me quedo grato
por ese espejo donde
me dejas ver reflejada mi imagen,
de grandes ojos oscuros, sonriente
por ver llegar uno tras otro
todos esos  rostros-instantes
sonriendo para mí…

¡Muchas gracias a todos !

Em Português:

Há dias em que as palavras, por limitações características da sua forma enquanto formas de comunicação, não conseguem dizer  tudo o que pretendemos.

E nao há como ir mais além desse ponto onde, emocionados e frágeis  ante as nossas emoções  sentimos que ficamos ainda com o sentimento que é necessário dizer ou fazer algo mais... É isso o que tento fazer abaixo com um poeminha:


Agradecer à minha familia. E também a essa outra tão especial, espalhada por esse mundo de Deus e feita de amigos e amigas  que me adotaram  e que me toleram em minhas irreverências, e que descobriram formas de fazer-me chegar  seus abraços e beijos, via Facebook e outras vias, iluminando a minha alma e enchendo de satisfação esta data do meu aniversário. Mil obrigados a todos, ou, como se diz na minha cidade: Bem hajam !



A cada momento, mesmo que leve um ano,
ergo meus olhos, olhando
os horizontes das surpresas
e não vejo mais que a mais outro,
desses tantos que não esqueço nunca
mas que não esperava ver assim.

São rostos de histórias e instantes
E sentimentos fincados no tempo,
que não se esmagaram entre si
mas que fizeram de mim o que sou:
- marinheiro um pouco rude ,
endurecido navegante de memórias
que tem saudades das ondas
quando caminha em terra firme,
lá onde os outros sorriem.

E, Senhor, como Vos sou grato
por esse espelho , onde
me deixas ver reflectida a minha imagem
de grandes olhos escuros, sorridente
por ver chegar um após o outro
todos esses rostos-instantes
sorrindo para mim…

Muito obrigado a todos !



foto: Henrique Mendes
rev. lengua española: Connie Ureña Cuellar