19 de mar de 2017

144 - TALVEZ POR UM MOMENTO


Resultado de imagem para BIRDS SINGING

Talvez por um momento
eu possa apontar no teu destino
a breve nota de um instante.
Quem sabe ? Nem acho que seja fazer muito…

Seria apenas uma breve nota,
como um chilreio de passarinho
desses mais normais, duma manhã qualquer,
dando vida a alguma dessas clareiras mágicas
que um raio de luz desenhou
num quase-silêncio feito de paz.

Talvez possa dizer-te que hoje
é o mais importante dos teus dias,
se me escutares…
Se o ruído de tudo o que não és,
e o grito renascido do que já esqueceste
não se  impuserem ao teu momento.
E a ti, hoje e agora…

Sim, hoje é o mais importante dos teus dias,
porque nessa corrida para o espelho
que agora fazes, em ânsia de alguma coisa,
não conta o que tenhas já feito, mas sim…
que hoje é véspera de amanhã.

E amanhã é quando o futuro começa,
e por isso ainda podes escolher
quais o momentos e quais os cantos, 
de quais passarinhos,
pretendes ouvir naquelas clareiras encantadas,
desenhadas por raios de luz dourada
em alguma manhã qualquer, quando a paz
te for uma preciosidade, e o teu espírito
estiver sedento do quase-silêncio.

Por isso, acho que nem aspiro a muito!
Apenas a recordar-te que as manhãs são tuas.
E que os chilreios nunca chegam sozinhos,
mas  sempre que  escolhemos não censurar o Tempo,
- e não nos censurarmos -
até finalmente esquecermos
de tudo o  que já não somos,
e nos abrirmos ao instante.

Os outros, olha…
São só os outros,
de outros momentos.

Até amanhã.
Que chegues bem !



2 comentários:

  1. Que bela reflexão, Henrique!
    Sempre muito bom ler os seus textos poéticos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Zélia. Fico feliz por te-la como leitora ! Um abraço

      Excluir

Seu comentário é precioso para mim!
Comente, por favor :