8 de jun de 2015

107 - DESTINO







Há passos que não se dão !
Apenas aparecem dados, simplesmente,
como se, ás vezes,  a Vida fizesse por nós
aquilo que nós não temos a coragem de fazer.

Assim, seja por decisão tomada
ou por conspiração de acasos,
vemo-nos postos nos trilhos certos,
rumando áquele ponto
onde presente e futuro se intersectam
e desenham este hoje
onde nossos passos já ecoam,
embora ainda a medo,
embora ainda em esboços e hesitações,
mas convergindo já para ser
esse fim maior,
esse ponto fantástico,
esse último reduto da lógica e do controle
além do qual começa um outro, inexorável,
maior que nós,
ao qual reverenciamos, chamando-lhe
Destino !



Um comentário:

  1. Filosofía hecha poema. ¡Mucho me gustaría expresarme así!, hablando del inexorable destino. Un abrazo y mi felicitación profundamente sincera por tu poesía. Tu foto es estupenda!

    ResponderExcluir

Seu comentário é precioso para mim!
Comente, por favor :